Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Supremo retoma julgamento sobre depoimento de Bolsonaro no inquérito de Moro

Após voto de Celso de Mello no ano passado, plenário deve decidir hoje se presidente deve depor presencialmente na investigação sobre interferência na PF
Supremo retoma julgamento sobre depoimento de Bolsonaro no inquérito de Moro
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O STF retomará nesta quarta-feira (6) o julgamento que vai definir se o presidente Jair Bolsonaro deve prestar depoimento presencial ou por escrito no inquérito que apura se houve interferência política do governo no comando da Polícia Federal.

O inquérito foi aberto pelo STF em abril do ano passado, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e tem como base acusações feitas por Sergio Moro ao deixar o governo.

Segundo o ex-ministro da Justiça, Bolsonaro tentou interferir em investigações da PF ao cobrar a troca do chefe da Polícia Federal no Rio de Janeiro e ao exonerar o então diretor-geral da corporação Maurício Valeixo.

Em outubro do ano passado, na sua última sessão no STF, o então relator Celso de Mello votou para que Bolsonaro preste depoimento presencial, e não por escrito. Na sessão de hoje, o ministro Nunes Marques, que entrou no lugar de Celso de Mello, não participa.

Augusto Aras já deu aval para o presidente depor por escrito.

O debate tem como pano de fundo precedente do próprio Supremo, de 2017, quando o ministro Luís Roberto Barroso autorizou o então presidente Michel Temer a prestar esclarecimentos por escrito no inquérito que apurava irregularidades nos portos – apesar de o Código de Processo Penal garantir a autoridades a possibilidade de prestar testemunho por escrito, apenas quando não estão na condição de investigado.

Mais notícias
TOPO