Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Pobre branco de olhos azuis não tem direito?"

À frente do grupo que elabora propostas para o Ministério de Educação de um eventual governo de Jair Bolsonaro, o general Aléssio Ribeiro Souto respondeu ao Estadão como ficará a política de cotas.

“Uma das ideias básicas é a prevalência do mérito. O país deve chegar ao momento que não precisará de cotas. A cota é um remendo. Sou de família extremamente modesta, saí de casa aos sete anos de idade. Sou neto de negro e bisneto de índia. Nunca precisei disso, porque o Estado, a sociedade e a Nação me propiciaram educação pública de qualidade.”

O jornal questionou se as cotas então não são necessárias.

“Elas estão sendo necessárias para alguns e mal utilizada por outros para resolver um problema de má gestão governamental. Nossa proposta é a prevalência do mérito. Mas como fazer? Eliminar agora? É preciso equilíbrio. Que tal  ensino complementar aos desassistidos?

Sobre quem são os desassistidos, o general Aléssio Ribeiro Souto respondeu:

“Pobre branco de olhos azuis não tem direito? Existem no Nordeste e no Rio Grande do Sul. No meu dicionário, não pode ter cor para o ser humano.”

Foi declarada a guerra do 2º turno, que definirá também o curso da Lava Jato. Saiba mais AQUI
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO