Pode matar à vontade

Pode matar à vontade
Foto: Caio de Biasi/Especial para o MS

O aumento vertiginoso de mortes por Covid-19 era uma certeza.

Em 13 de janeiro, o presidente do hospital Albert Einstein avisou: a curva é crescente e vai piorar”. 

Duas semanas depois, no Manhattan Connection, Luiz Henrique Mandetta previu uma megaepidemia daqui a 60 dias.

Os técnicos do governo concordaram, estimando duas mil mortes por dia nos meses sucessivos.

Em 10 de fevereiro, O Antagonista lembrou mais uma vez o ciclo da epidemia, que é conhecido desde o ano passado, e que foi agravado pelas novas variantes.

O site alertou também que o Brasil já era o segundo país com mais mortes per capita do hemisfério Sul, atrás apenas do Peru.

Ninguém será responsabilizado por essa calamidade anunciada.

Leia mais: Enquanto Brasília faz tudo errado, a Crusoé continuará fazendo o certo: fiscalizando o poder.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO