Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

“Podemos muito bem rezar em casa”, diz Marco Aurélio Mello sobre decisão que liberou cultos

“Podemos muito bem rezar em casa”, diz Marco Aurélio Mello sobre decisão que liberou cultos
Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O decano do STF, ministro Marco Aurélio Mello, criticou a decisão do ministro Kassio Nunes Marques que liberou cultos e missas em meio ao agravamento da pandemia. “Nós podemos muito bem rezar e observar a nossa religião no recinto do lar”, disse o decano a O Antagonista.

“Atos assim acabam diminuindo a importância e a credibilidade do Supremo frente à opinião pública”, disse o ministro, que complementou. “A atribuição não seria dele individualmente e a medida não era tão urgente assim”, opinou o decano do STF.

Para o ministro Marco Aurélio Mello, o caso não deveria ser alvo de uma decisão monocrática. “Em processo objetivo, a atribuição, estando o Supremo aberto, e ele está, é para o plenário. Exigindo-se para o implemento de tutela de urgência, seis votos. Por isso, causou perplexidade o ato do colega”, disse o decano.

“Eu penso que ao invés de ele atuar, como o fez, ele deveria ter aparelhado o processo e ter levado aos colegas. E feito o relatório, conferir o primeiro voto”, analisou Mello.

O ministro Kassio Nunes Marques autorizou a realização de cultos e missas em todo o país de maneira presencial. A decisão foi publicada no sábado.

Nunes Marques determinou ainda que os espaços religiosos sigam os protocolos sanitários para evitar infecções pelo coronavírus, limitando a presença nesses lugares a 25% da capacidade do público.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO