Polícia investiga se funcionária do Carrefour mentiu em depoimento

Polícia investiga se funcionária do Carrefour mentiu em depoimento
Foto: Google Maps

A Polícia Civil, informa o G1, investiga se uma funcionária do Carrefour mentiu no depoimento sobre a morte de João Alberto Freitas, espancado por dois seguranças.

A delegada Roberta Bertoldo disse:

“O que nós observamos é que houve declarações contraditórias. Resta até o final do inquérito [saber] se essas contradições foram motivadas por algo que se queria encobrir ou não.”

Adriana Alves Dutra, responsável pelos seguranças da loja, disse que o policial militar Geovane Gaspar da Silva era um cliente da loja, mas a apuração já constatou que ele era funcionário da empresa de segurança.

Ela também afirmou que pediu várias vezes para que os seguranças largassem João, mas as imagens mostram apenas ela tentando impedir a gravação.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 32 comentários
TOPO