Polícia do Senado exonera ‘delator’ das varreduras

Paulo Igor Bosco Silva, o ‘delator’ do esquema de varreduras da polícia do Senado, foi exonerado “por supostamente descumprir os deveres de servidor público e transgredir proibições inerentes à função”.

Em outubro de 2016, ele revelou que policiais legislativos cumpriam missões secretas para detectar grampos em locais determinados por senadores.

“Fui injustiçado. O processo administrativo foi uma retaliação às minhas denúncias, que, como todos sabem, na época desencadearam uma operação da Polícia Federal que comprovou a caça aos grampos no Senado”, disse Paulo Igor ao site Metrópoles.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 23 comentários
  1. Essa “Polícia do Senado” na verdade é composta por um grupo de criminosos que cometem inúmeras falcatruas a mando de nossos honestissimos políticos! Não valem uma rosca furada!

  2. Como sempre, os senadores sob o comando de Renan Calheiros, pensam que nossa memória é curta e que esqueceremos da investigação intencionalmente “adormecida” do caso das maletas do Senado. Mas vamos cobrar!

  3. E afinal,como está o processo aberto pela PF?? As “malas grampeadoras do senado(do Renan) estão no STF e o seu conteúdo ainda não foi analisado( pelo menos,oficialmente). Ali devem ter muitas coisas escabrosas gravadas a mando do bandido ,cangaceiro do renan!!