Policial diz que não destruiria escutas da PF

Em seu depoimento à PF, o policial legislativo Everton Taboada disse que combinou com seus colegas não destruir eventuais escutas da PF que fossem encontradas em varreduras solicitadas por senadores.

Como publicamos mais cedo, não havia uma ordem superior sobre o que fazer com as escutas da PF.

“Acaso houvesse no equipamento de escuta ambiental alguma identificação de órgão policial, tal material não deveria ser retirado do local e o fato não deveria ser reportado ao senador requisitante, mas apenas à Direção da Polícia Legislativa”, disse Taboada.