Política de reconciliação na PF

Ao promover Márcio Anselmo para a divisão de combate a crimes financeiros, Fernando Segovia sela uma reaproximação com o delegado.

A relação dos dois estava estremecida desde a investigação da Boi Barrica (Factor) contra Fernando Sarney.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Segóvia não foi Sarney?
    Anselmo pode não ter tido escolha. Mas saberemos se a transferência serve ao País ou à ORCRIM.
    Depende dele agora. Se não apresentar resultados …

Ler mais 6 comentários
  1. Segóvia não foi Sarney?
    Anselmo pode não ter tido escolha. Mas saberemos se a transferência serve ao País ou à ORCRIM.
    Depende dele agora. Se não apresentar resultados …

  2. Policiais do RN deram o exemplo, mostraram que a união em prol de uma causa justa vence. Na PF se maioria sentir que está havendo interferência política na Organização e contestar, sairá vencedora, terá apoio irrestrito da maioria sociedade brasileira. ESTAMOS ENGASGADOS.

  3. Não há nada que o dinheiro não compre assim como não há nada que o poder não corrompa. Parabéns ao chefe da Orcrim por promover este reencontro de personagens alvos de amor e ódio no seio da Família Sarney.