Presidenciável colombiano pode não concorrer em 2018 à espera do STF

Edson Fachin, do STF, continua negando à defesa do político colombiano Óscar Zuluaga, do Centro Democrático, acesso a informações da delação de Duda Mendonça, ainda não homologada.

Zuluaga foi acusado de ter recebido dinheiro no caixa dois na campanha de 2014, quando perdeu, no segundo turno, para o atual presidente, Juan Manuel Santos, que está em seu segundo mandato.

Como quer concorrer de novo ao cargo no ano que vem, o colombiano tem implorado à Justiça brasileira dados mais precisos sobre a delação do marqueteiro, para que possa tentar se explicar aos seus eleitores e, assim, entrar de vez na corrida presidencial. Sem isso, sua candidatura é praticamente inviável.

Enquanto isso, no Brasil, gente como Renan Calheiros — com um punhado de inquéritos aguardando julgamento no STF — e Lula, réu e já condenado em uma ação, estão animadíssimos com as eleições de 2018.

Relembre aqui o que publicamos em janeiro deste ano:

Odebrecht financiou candidato colombiano

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Saccô disse:

    É o foro privilegiado do Brasil ajudando os bandidos de outros países. Esse STF é a vergonha da(in)justiça brasileira.

Ler comentários
  1. Aparecida disse:

    é só o que faltava o STF inscrever um presidentenciave colombiano .candidatos a presidente da República só brasileiro. o Brasil há está a deriva imagine um presidente colombiano. isso sério o fim do Brasil . l