‘Polo democrático e reformista’ pelo caminho

Em junho deste ano, lideranças políticas lançaram um “manifesto” por uma candidatura única de centro — relembre aqui os pontos do documento.

A ideia era unir as então pré-candidaturas de Geraldo Alckmin, Alvaro Dias, Henrique Meirelles e mesmo João Amoêdo.

Ninguém, porém, desistiu de encabeçar a disputa e, a 20 dias das eleições, o tal “polo democrático e reformista” vê um segundo turno se desenhando entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 22 comentários
  1. Prepotência é pouco para esse monte de esquerdistas corruptos. “Pólo democrático” é meuovo, bando de vagabundos. Os cara querem é manter o status quo e ainda jogar o país numa ditadura vermel

  2. esse álvaro dias, tava até pensando em votar nele mas começou um papo furado de refundação da republica…. amoêdo é o pco do liberalismo… henrique meireles não serviu nem como boi de piranh