Ponta do iceberg

Deltan Dallagnol confirmou à Folha que a Lava Jato ainda avançará muito sobre as contas suíças usadas para ocultação de propina. Os documentos recebidos até o momento não representam nem 10% do total:

“O procurador-geral suíço quando veio ao Brasil, há cerca de um ano, falou que havia investigação sobre mais de 300 contas lá. Não vieram para cá 10% dessas 300 contas. Durante esse tempo certamente as investigações lá se expandiram. Existe um grande corpo aprobatório de fatos que a gente ainda não tem conhecimento, que está lá e que em algum momento virá para o Brasil e repercutirá em novas investigações e novas delações aqui.”