ACESSE

“Por engano”, Justiça de SP desbloqueia bens de ex-tesoureiro de Alckmin

Telegram

A Justiça de São Paulo desbloqueou “por engano” os bens do ex-secretário Marcos Monteiro, tesoureiro da campanha de Geraldo Alckmin em 2014, diz a Crusoé.

Ele é acusado de ter intermediado R$ 7,8 milhões de caixa 2 da Odebrecht para a reeleição do tucano.

O erro ocorreu no cartório da 13ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, onde tramita uma ação de improbidade administrativa contra Alckmin, Monteiro, a Odebrecht, além de quatro ex-executivos da empreiteira. Todos tiveram os bens bloqueados em abril do ano passado.

Dois dos ex-executivos, porém, conseguiram uma liminar no STF para o desbloqueio dos bens.

No último dia 11, a juíza Luiza Barros Verotti, da 13ª Vara da Fazenda Pública, autorizou o desbloqueio de bens dos dois ex-executivos da Odebrecht, mas o cartório incluiu “por engano” o nome do ex-tesoureiro de Alckmin na lista dos beneficiados.

Depois de perceber o erro, o cartório refez o pedido de indisponibilidade de bens de Monteiro no dia seguinte.

Leia também: Bolsonaro: "Vou interferir. Ponto final"

Comentários

  • Daniel -

    "Engano" porque foi nos parças do Alkmin, se fosse algum amigo ou parente do Bolsonaro, já estavam pedindo pra anexar no inquérito do STF...

  • Silvio -

    Judiciario e MPSC afinados com o tucanato corrupto a mais de 30 anos. Possuem salarios e mordomias dos duodecimos e quanto aos servidores do Executivo paulista uma vergonha

  • Herbert -

    Tudo bem foi só um erro, no dia seguinte ao que o Monteiro sacou tudo, os bens que ali não mais estavam, foram bloqueados novamente. Essa foi melhor que a musica de EDITH VEIGA: FAZ-ME RIR. Ouçam.

Ler 37 comentários