Por fora e por dentro

Sérgio Moro questionou Ricardo Pessoa sobre uma planilha que o empreiteiro entregou à Lava Jato com repasses para JVN-PT (João Vaccari Neto), entre setembro de 2008 e fevereiro de 2013, no valor total de R$ 3,9 milhões.

Pessoa disse que foram recursos pagos “em espécie” a Vaccari, propina para o caixa 2 do PT. O valor soma-se aos R$ 15 milhões que o delator informa ter pago ao partido via doações oficiais.

Ele explicou que as doações de campanha vinham com pedidos específicos para os candidatos, o que inclui os R$ 7,5 milhões repassados à campanha de Dilma.

Pessoa, porém, recuou em relação a declarações anteriores de que teria sido ameaçado por Edinho Silva. E tentou convencer Moro de que as doações de campanha foram legítimas, enquanto as doações fora do período eleitoral é que eram propina.

A Lava Jato vai convocá-lo novamente para que ele esclareça a contradição.

Faça o primeiro comentário