“Por ora”

Folha de S. Paulo:

“Leandro Daiello, diretor-geral da Polícia Federal, deve continuar por ora à frente da corporação, apesar da troca do ministro da Justiça, chefe administrativo da polícia.

A saída de José Eduardo Cardozo colocou em risco a permanência de Daiello em seu cargo.

Nas conversas sobre a substituição de Cardozo, que segue agora para a AGU, no lugar de Luís Inácio Adams, integrantes do Palácio do Planalto avaliaram que uma dança de cadeiras também na PF seria ruim neste momento.”

O que nos preocupa é justamente o “por ora”.