ACESSE

Por que o Linhão de Tucuruí ainda não saiu do papel

Telegram

Jair Bolsonaro prometeu tirar do papel o chamado Linhão de Tucuruí, a linha de transmissão que integrará Roraima ao sistema nacional de energia elétrica — sem isso, o estado fica refém de termelétricas venezuelanas.

Oficialmente, a obra não começou ainda em razão de imbróglios em licenças de instalação.

Mas o principal motivo é outro: o consórcio vencedor da licitação, formado pela Eletronorte e pela Alupar Investimentos, tem exigido um reajuste no valor do contrato maior do que o autorizado pela área técnica da Aneel. Trata-se, portanto, de um bate-cabeça no reequilíbrio financeiro, já que os cálculos feitos quando do processo licitatório ficaram defasados.

O Antagonista soube que há no governo Bolsonaro uma inclinação a desconsiderar o parecer da agência reguladora e aceitar a proposta do consórcio. Em se confirmando, seria uma diferença na ordem de 2 bilhões, no período de 20 anos.

A CGU precisa acompanhar essas discussões internas com lupa.

Bolsonaro muda: quem ganha poder no Planalto? (e quem perde) Leia mais

Comentários

  • Ryu -

    O mais engraçado é a esquerda reclamando disso, mas apoiando o subsidio brasileiro para a energia dos paraguaios! kkkkkkkkkkk Esse povo é doente!

  • Felipe -

    Se tem uma pessoa nesse governo, até mesmo nesse país, que sabe o que está fazendo é o Min Tarcísio! In Tarcísio we trust!

  • Fabio -

    faz outra licitação, simples.

Ler 36 comentários