Por reforma, Caiado defende união de governadores e prefeitos

Em artigo na Folha, Ronaldo Caiado defendeu que governadores e prefeitos tenham protagonismo na defesa da reforma da Previdência.

“A reforma da Previdência e o ajuste fiscal, portanto, se impõem como emergências e para além das divergências, sejam quais forem. Nesse sentido, não existem governadores ou prefeitos de oposição; todos estão na mesma situação, todos são governo, sócios da mesma crise, não importa a orientação ideológica ou o partido”, escreveu.

“Um governador do PT não está em melhor ou diferente situação da minha, que sou do DEM. As demandas e urgências são as mesmas.”

Bolsonaro Tem Pouco Tempo Para Salvar a Sua Aposentadoria. SAIBA MAIS

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Carlos disse:

    Tem que desmentir os argumentos criativos dos que não querem abrir mão dos privilégios.

Ler comentários
  1. Sueli disse:

    A diferença é que os do PT ajudaram a criar a crise aumentando o número de funcionários e o valor dos salários

  2. Dirce disse:

    Isso aí Caiado ! Parabéns !!! O Brasil agradece !!!

  3. RobertoSilvaRJ disse:

    Concordo plenamente com Caiado, que teria recebido o meu voto caso tivesse sido candidato à presidência. O problema dessa proposta, é que jogam contra os VERMES do PT, PSOL, PC do B e etc.

  4. Jorge disse:

    No Nordeste, grande parte dos governadores faz proselitismo contra a reforma da deficitária Previdência. Isso é uma postura irresponsável, demagógica e burra (pois seus estados têm problemas).

  5. Xavier disse:

    Parabéns aos governadores que põe a cara pra bater, tem um monte escondidinhos

  6. Anselmo disse:

    Segundo o petista espertão a solução é taxar grandes fortunas, aumentar imposto dos empresários!

  7. João disse:

    Velha politica de um velhaco. Só falam. Nao fazem nada. Bla bla bla . So isso que esse arrogante sabe fazer. Nunca fez nada relevante no congresso. Nunca ! Blá blá blá. Cairam no bla bla dele