ACESSE

Por unanimidade, STF rejeita ação sobre aborto para gestantes com zika

Telegram

O Supremo Tribunal Federal (STF) concluiu o julgamento e, por unanimidade, rejeitou uma ação que pedia a liberação do aborto em gestantes infectadas pelo vírus zika.

No último dia 26, o Supremo já havia formado maioria para rejeitar a ação.

A ministra Cármen Lúcia, relatora do caso votou por rejeitar a ação. O ministro Luís Roberto Barroso foi o único que apresentou ressalvas ao acompanhar a relatora. Para ele, a decisão “adia um debate importante no Brasil”.

“Para que não haja dúvida: mulheres são seres autônomos, que devem ter o poder de fazer suas escolhas existenciais, e não úteros a serviço da sociedade”, afirmou Barroso.

O processo, movido pela Associação Nacional de Defensores Públicos, foi analisado no plenário virtual da Corte.

O pedido foi apresentado em 2016, época em que um surto da doença atingiu principalmente o Nordeste, levando crianças da região a nascer com microcefalia ou outras síndromes neurológicas.

Leia também: Bom jornalismo: sua vacina contra fake news. Imunize-se

Comentários

  • Heraldo -

    Essa decisão está calcada na religiosidade nefasta que assola este país atualmente.

  • Aldo -

    Quando não morrem logo após o nascimento, tornam-se pessoas sem nenhuma capacidade de interação com os demais, apenas vivem. Totalmente dependente dos pais, o que será delas quando estes se forem?

  • Ana -

    Apoio a decisão! Entendo que, em caso nenhum, pode-se recorrer ao aborto; sou cristã católica. Na maioria de suas descobertas acredito piamente na Ciência. Meu diferencial é que acredito em milagres!

Ler 53 comentários