ACESSE

PORTEIRO QUE ACUSOU BOLSONARO SERÁ INVESTIGADO POR CRIME CONTRA A SEGURANÇA NACIONAL

Telegram

Augusto Aras pediu ao Ministério Público Federal no Rio que investigue o porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro por suposto crime contra a segurança nacional.

No ofício encaminhado à Procuradoria, Aras menciona o possível enquadramento no crime de caluniar ou difamar o presidente da República, “imputando-lhes fato definido como crime ou fato ofensivo à reputação”. O delito é punido com 1 a 4 anos de reclusão.

Mais cedo, Sergio Moro pediu uma apuração de suposta obstrução à Justiça, falso testemunho e denunciação caluniosa contra o presidente.

Aras foi além, incluindo o crime previsto na Lei de Segurança Nacional, editada em 1983.

Hoje, o MP do Rio disse que o porteiro deu uma informação falsa em depoimento, ao relatar que, no dia do assassinato de Marielle Franco, Élcio Queiroz, um dos acusados, foi autorizado por “seu Jair” a entrar no condomínio onde mora o presidente, para encontrar-se com outro acusado, Ronnie Lessa.

Para Bolsonaro, o porteiro pode ter sido induzido a prestar falso testemunho.

Nas próximas 2 ou 3 semanas, algumas questões realmente importantes — e que provocam paixões — devem chegar a seu ápice e, talvez, a um desfecho. SAIBA MAIS AQUI

Comentários

  • Maria -

    Se apertarem o mané ele abre o bico rapidinho. Não venham com coitadinhice, tipo "oh, o humilde porteiro", porque está na cara que ele foi comprado para estrelar a armação. Tem que chegar no mandante.

  • Oswaldo -

    O pior é que não dá nem para xingar direito. Com esse pessoal de esquerda nunca dá para saber se é homem, mulher ou traveco só pelo apelido.

  • Oswaldo -

    Deve ser uma pessoa simples que ou foi induzido ou ameaçado. A investigação não pode parar nele.

Ler 266 comentários