Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Será?

Dois líderes, em reservado, disseram a O Antagonista que a quarentena para militares, policiais, juízes e promotores poderá valer somente a partir de 2024
Será?
Foto: Adriano Machado/Crusoé

O Antagonista ouviu de dois líderes partidários que “perdeu força” a proposta de quarentena para militares, policiais, juízes e promotores disputarem eleições já a partir de 2022, o que seria inconstitucional.

Os deputados estão discutindo alternativas, no âmbito do novo Código Eleitoral. Uma delas seria iniciar a imposição dessa quarentena somente em 2024.

Se a proposta que está no texto apresentado aos deputados nos últimos dias for mantida — com quarentena de cinco anos valendo desde já –, uma eventual candidatura do ex-juiz Sergio Moro no ano que vem poderia ser barrada.

Pela manhã, como noticiamos, a relatora da matéria, deputada Margarete Coelho (PP), disse a O Antagonista que tem de “atender aos anseios da Casa” e “respeitar a decisão da maioria do colégio de líderes”.

A questão em jogo não envolve somente Moro. Os deputados sabem do potencial eleitoral, de maneira geral, de juízes e promotores, por exemplo, e querem evitar ao máximo a concorrência nas próximas eleições.

Mais notícias
TOPO