Pouco mudou no comando do Sistema S do Rio

A delação de Orlando Diniz, ex-presidente da Fecomércio do Rio de Janeiro, provocou pouco impacto no comando da entidade que administra os recursos do Sistema S, diz a Crusoé.

Atual presidente da federação, Antônio Florêncio de Queiroz Junior nomeou como seu assessor um funcionário que foi preso junto com Diniz sob acusação de obstrução de Justiça. Marcelo Novaes continua atuando junto à cúpula, inclusive como porta-voz da entidade.

Mesmo condenado pelo TCU, José Roberto Tadros, presidente da Confederação Nacional do Comércio, continua com enorme influência sobre as federações e retaliando adversários.

Clique aqui para ler a íntegra da nota.

Leia mais: Combo Crusoé e O Antagonista+: comece a ler por apenas R$ 1,90
Mais notícias
TOPO