Prefeito de Niterói queria ajuda de empresas de ônibus, diz delator

Renato Pereira contou também em sua delação que Rodrigo Neves, ex-PT e hoje no PV, quis contratá-lo novamente para a campanha de 2016.

O marqueteiro cobrou R$ 7 milhões, mas o prefeito disse que só poderia pagar por dentro R$ 3 milhões.

O resto poderia ser bancado pelas empresas de ônibus de Niterói, em troca de uma contrapartida.

Disse o delator:

“Diante da impossibilidade de fazer a campanha por tal valor, passei a oferecer outras opções pois não queria receber valores não contabilizados. Nesse momento, presenciei Neves questionar Domício (Mascarenhas, secretário de Obras) sobre a possibilidade de as empresas de ônibus de Niterói arcarem com a despesa, caso a prefeitura atendesse determinada demanda deles, ao que o secretário respondeu não saber.”

Com medo da Lava Jato, Pereira recusou-se a receber por fora e acabou sendo subcontratado por outra agência.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 8 comentários
  1. Não é a primeira vez que esse petista mascarado de PV é denunciado no âmbito da Lava Jato (metido em negociata com empreiteiro), não à toa é amigo do Zé Dirceu, chegou a usar foto desse seu amigo criminoso em sua primeira campanha para a prefeitura. Inacreditavelmente, os niteroienses (em grande parte formados por uma burguesia que mama nas tetas públicas desde que Nikiti era capital fluminense e beneficiários da Bolsa Família que por qualquer dindin vota na esquerda e até serve de cabo eleitoral nas eleições) elegeu essa figura duas vezes seguidas.

  2. Cadeira elétrica e’ pouco p esses bandidos. Tá explicado pq a passagem de ônibus é tão cara. O povo pobre, trabalhador, além de ter um transporte de baixíssima qualidade, ainda paga esses valores absurdos – p cobrir a propina de político. Cadeia é muito pouco.

  3. Sobre a prefeitura de Niterói: há um esquema de corrupção envolvendo Emílio Rached Esper Kallas e a prefeitura de Niterói. Entre outras contrapartidas, o Grupo Kallas “venceu” (ganhou) a licitação para explorar a publicidade no mobiliário urbano da cidade por 25 anos (ex: propaganda veiculada nos relógios digitais urbanos). Há anos que a mesma frase (“todos juntos contra a dengue e zica”) é mostrada, provavelmente paga pela prefeitura (provavelmente, esse é o único achismo no que escrevi).

    Detalhes:
    https://oglobo.globo.com/rio/bairros/prefeitura-de-niteroi-instala-mais-13-novos-relogios-nas-ruas-da-cidade-15398496
    https://noticias.r7.com/eleicoes-2016/sao-paulo/empresarios-atiram-para-todos-os-lados-e-fazem-doacoes-para-mais-de-um-candidato-em-sp-28092016
    https://goo.gl/Zmqf6H