ACESSE

Prefeitos da Grande SP se revoltam com decisão de Doria sobre reabertura

Telegram

Prefeitos da Grande São Paulo se revoltaram com a decisão de João Doria de começar a flexibilizar a quarentena na capital paulista, mas manter o restante da região metropolitana e o litoral na chamada “zona vermelha”, com flexibilização proibida, registra a Folha.

Aliado de Doria e também tucano, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, cobrou isonomia na decisão do governo.

Morando argumentou que, isoladamente, os índices de São Bernardo são melhores que os de São Paulo –por exemplo, 70% de ocupação de vagas em UTI, ante os 85% verificados na capital. “Se é para seguir a ciência, quero que prove por que São Paulo pode sair da quarentena”, disse o prefeito, que defende a manutenção da capital na zona vermelha.

Em nota, o Consórcio Intermunicipal Grande ABC, que reúne prefeituras da região, disse ter recebido com “profunda surpresa e indignação” o novo conjunto de regras para quarentena anunciado pelo governador.

 

Leia também: Quais líderes estão se saindo bem na pandemia?

Comentários

  • Ana -

    O isolamento não vinha sendo cumprido pela população. Dória tomou a decisão mais sensata: já que decidiram se arriscar, arrisquem-se aqueles que tem a estrutura hospitalar mais robusta.

  • PAULO -

    A pandemia desnuda a incompetência dos governantes. Estão todos batendo cabeça, e o povo ?morrendo. Rumo aos 100.000

  • Fernando -

    Bolsonaristas revoltados com abertura gradual?

Ler 54 comentários