Premiê sueco será testemunha no caso dos caças

O primeiro-ministro da Suécia, Stefan Löfven, vai depor como testemunha no mês que vem no caso da compra dos caças suecos pelo governo brasileiro.

Löfven será interrogado em uma corte sueca sobre seus contatos com Lula e Dilma Rousseff a respeito da compra dos caças, por meio de um acordo firmado cinco anos atrás.

O pedido para que o premiê testemunhasse veio dos acusados, entre eles Lula. Löfven, que não é investigado no caso, fez lobby pela compra dos aviões quando dirigia a entidade sindical IF Metall. Ele se elegeu primeiro-ministro em 2014.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 10 comentários
  1. Depois do escândalo do Prêmio Nobel outorgado para Bob Dylan; depois do escândalo da Trilogia Millennium, revelando os suecos que não amam as mulheres; depois do escândalo da gelada vida pornográfica sueca, cuja obscenidade nunca é obscena, nada que venha da Suécia corrompida nos surpreende. Essa cascata midiática de primeiro-ministro sueco que vai para o trabalho de bike é propaganda de estado de bem-estar social sueco pra inglês ver e brasileiro beócio, com complexo de vira-lata, admirar deslumbrado a elite cidadã made in Suécia.

  2. Testemunho de um lobista que tinha interesse em vender os caças e possivelmente ganhou comissão pela venda e que também poderá até fazer prova contra ele mesmo se resolver falar a verdade real?

  3. O que será que a testemunha de defesa de Lulla, sindicalista que fez lobby pela compra dos aviões, atual primeiro-ministro da Suécia, vai dizer da compra de caças suecos por Lulla?
    “Conseguimos empurrar o avião mas ele levou 5%” ou “é a alma mais honesta da galaxia”?

  4. O premiê sueco tem 2 opções: 1) negar propina no contrato; 2) confessar o uso de propina para conseguir contrato e ser preso lá no país dele. Acham que ele dirá o quê?

  5. Porque vocês chamam de premiê se na europa o nome usado é primeiro-ministro. Premiê, uma adaptação de “premier” do francês “premier ministre”, soa ridículo. Usem primeiro-ministro, pelo amor de N. S. do Ridículo.