Presidencialismo é campanha de ‘baixo nível’ e ‘canelada’, diz Alckmin

Em evento com presidenciáveis em Brasília, Geraldo Alckmin voltou a justificar sua aliança com partidos fisiológicos dizendo que, sem apoio, nada se aprova no Congresso.

O tucano argumentou que as principais reformas que pretende implementar mexem na Constituição, o que exige apoio de grande parte dos congressistas. “Quem prometer mudança sem ter o mínimo de aliança não vai fazer nada.”

Alckmin também afirmou que o presidencialismo no Brasil é feito na base da canelada.

“O presidencialismo é uma campanha de baixo nível. No parlamentarismo, discutem ideias, propostas. O partido que ganha, o seu líder ascende a primeiro-ministro. O presidencialismo é o embate de pessoas, o embate de personalidades, canelada. Qual o lado bom do presidencialismo? É a força do voto.”

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 42 comentários
  1. Como este sujeito quer ser presidente se avalizou a lei estadual que proíbe o abate de javalis, que estão arrasando as lavouras e saõ predadores de animais silvestre. Não tem expertize e retrocismo.

  2. Centrao, diga-se: Roberto Jeferson, Ciro Nogueira, Paulinho da força, Valdemar Costa Neto entre outros ilustres. papinho de governabilidade. Igual o papinho do Lula: governabilidade deu no q deu

  3. não um parlamento sério. Nosso presidencialismo já é quase um parlamentarismo…eles querem mudar tudo pra continuar igual. Voto de legenda, Quociente eleitoral etc…

  4. “Quem prometer mudança sem ter o mínimo de aliança não vai fazer nada.” Olha aí! a desculpa que ele vai usar quando pipocar os escândalos de corrupção na sua administração(claro, se ganhar).

  5. Tá tentando justificar o injustificavel. Se vendeu pro Centrão em troca de tempo de televisão. Pegou mal e perdeu votos. agora tenta limpar a barra com esse papinho de canelada e bla bla bla.

  6. Santo vendendo a ideia dos podres do psdb – parlamentarismo- teriamos um primeiro ministro por mes. Esculhanbação total uma corridinha de bastão entre compadres vermelhos. Santo chuchu vai t c

  7. essa desgraça , póe o povo de joelhos, O PRESIDENTE ESCOLHIDO PELOPOVO NÃO MANDA, quem manda é o primeiro ministro ESCOLHIDO PELOS BANDIDOS DO CONGRESSO, impeachment pra tirar esse ministro . E´ZERO

  8. Ainda acredito que o SEMI-PRESIDENCIALISMO como na França e Portugal ainda é mais eficaz que o PARLAMENTARISMO, o brasileiro não se acostumaria com Eleição toda vez que o PARLAMENTO seja dissolvido

  9. Que descarado alckmim! Ele confessa o acerto com o centrão da corrupção ! E ainda quer que o trabalhador vote nessa quadrilha! Como mudar se apoiando justamente nos que mamam nas tetas da corrupção?

  10. Geraldo PCC ORCRIMin, Geraldo imposto sindical ORCRIMin, Geraldo DERSA ORCRIMin, Geraldo lulalau ORCRIMin, Geraldo centrão da corrupção ORCRIMin, Geraldo rodoanel ORCRIMin, Geraldo temer ORCRIMin,

  11. Junto com Álvaro Dias, com experiência administrativa. Os outros são todos açodados, querendo resolver os problemas do Brasil com soluções mágicas. Lembrem-se do caçador de marajás, não entregou nada

  12. Independente do que acontecer com Alckmin, uma coisa é certa: Bolsonaro NÃO ganha da Marina num eventual 2° turno com ela. Deveriam ter apoiado Maria Silvia Bastos ao Planalto. Que venha 2022.

  13. Corrupto e que quer manter a corrupção: o Temer/Dilma 2. E que quer desconstruir os outros candidatos na base da mentira e difamação! Cai fora Chuchu, seu lugar é na cadeia!

  14. Outubro está às portas. Vote bem. Jamais em ineptos e corruptos. Sepulte os zumbis, brilhosos ou não. Empale os vampiros, sempre atrás so sangue do contribuinte. É urgente o embate detergente. Acorde!

  15. GERALDO NÃO DISSE O QUE DARÁ EM TROCA DO APOIO. Imunidade no STF? Mais cargos em estatais ou nos 40 ministérios? Na Caixa ou No BB? Como vai combater a corrupção com estes corruptos?

    1. Eu estou pagando o salário da Wal, que é caseira do Bolsonaro, e se ele for eleito o que mais iremos pagar “por baixo do pano”?