Presidente da Alesc escapa da Justiça Federal

Presidente da Alesc escapa da Justiça Federal
Foto: Solon Soares/Agência AL

O presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Júlio Garcia, conseguiu do STJ foro privilegiado por ter sido membro do Tribunal de Contas do estado.

Denunciado na Operação Alcatraz por corrupção e lavagem de dinheiro, ele é acusado pelo MPF de ter recebido R$ 27 milhões entre 2009 e 2018 para favorecer uma empresa de tecnologia quando era conselheiro do tribunal.

Nesta sexta-feira, o ministro Joel Paciornik decidiu enviar as ações penais da operação, em andamento na Justiça Federal de Florianópolis, para o STJ. Na prática, a operação ficará paralisada até novo entendimento.

Para o ministro, o próprio STJ deve decidir sobre a divisão das ações por conta da investigação contra pessoas com foro.

Segundo o MPF, Garcia  lavou a propina que recebeu vendendo vagas de garagem, comprando uma viagem à Disney e até alugando passeios de lancha.

Leia mais: Marco Aurélio e o caso André do Rap: como a lei (e a mais alta corte do país) pode ser usada para libertar um criminoso considerado perigoso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 11 comentários
TOPO