Presidente do STJ nega soltura de Eduardo Cunha

Laurita Vaz negou revogar a prisão preventiva de Eduardo Cunha decretada na Operação Sépsis, informa o G1. A decisão foi divulgada hoje.

O ex-deputado e ex-presidente da Câmara está preso em Curitiba desde outubro de 2017.  Segundo o STJ, a defesa alegou excesso de prazo nessa prisão, mas a presidente da corte concordou com os argumentos do juiz Vallisney Oliveira, que condenou Cunha.

De acordo com a sentença, a gravidade dos fatos narrados e o risco de reiteração delitiva justificam a manutenção da prisão preventiva.

Colapso na Venezuela... E o PT ainda apoia Maduro. Confira agora

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 10 comentários
    1. ESPEREM SÓ ESSE PEDIDO DE H C CHEGAR NAS MÃOS DE UM DAQUELES 4 DESSE POBRE STF ,AÍ VCS VERÃO O RESULTADO…

  1. Certo.
    Mas a pergunta que não quer calar é: por que o criminoso condenado luladrão ainda está na Superintendencia da PF, usufruindo de regalias e privilégios inimagináveis para qualquer outro condenado ? Até quando a “justiça” será desigual no caso desse meliante ?

  2. Ainda não entendi qual é a jogada do Cunha, em quem ele confia, porque não delata seus CÚMPLICES. Ele acredita que vai conseguir ser absolvido? Vai é morar na cadeia. Tá bancando o idiota útil.