Preso, Pezão também pode sofrer impeachment

Por determinação da Justiça, a mesa diretora da Alerj autorizou hoje abertura de processo de impeachment contra Luiz Fernando Pezão, informa a Folha.

O pedido havia sido feito pelo PSOL em fevereiro de 2017 e questionava atrasos nos pagamentos de salários dos servidores e o descumprimento do investimento mínimo em saúde.

Foi arquivado três meses depois, junto com outros sete pedidos de impeachment do governador do Rio, pelo presidente da Assembleia, Jorge Picciani –aliado de Pezão e preso em novembro do ano passado.

O governador está na cadeia desde o dia 29. Ele é acusado de manter o esquema de corrupção comandado por seu antecessor no cargo, Sérgio Cabral.

 

O inimigo número 1 de Sergio Moro. Leia AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 15 comentários
  1. UE!?!?! Executivo e legislativo do Rio mancomunados em formação de quadrilha p/ saquear os contribuintes? NÃO ACREDITO! A grande mídia e a CF não dizem q os poderes são independentes?

    1. Promiscuidade entre Executivo e Legislativo inviabiliza a supervisão parlamentar, típica de democracias verdadeiras. Promiscuidade, apoiada pela impunidade, gera o caos político-jurídico.

    2. Ótimo ponto, Marcos! O que existe é irmandade no assalto ao contribuinte. Se houvesse independência, parlamentares teriam de renunciar a seus mandatos antes de aderir ao Executivo.