A Previdência, de novo

O Antagonista soube que Michel Temer chamou de novo sua tropa de choque para tratar exclusivamente da reforma da Previdência.

Sepultada a segunda denúncia contra ele na Câmara, o presidente quer trabalho dobrado para aprovar “o que der” da reforma — leia-se, idade mínima (65 anos) e regras de transição.

Se a PEC não for validada pelo Congresso até o fim deste ano, Temer está convencido de que o assunto só teria condições de voltar à pauta após as eleições do ano que vem.

15 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. A CPI da Previdência instalada no Senado Federal realizou até agora 31 audiências públicas com a participação de técnicos e especialistas, os quais apresentaram dados oficiais e comprovaram DOCUMENTALMENTE que, ao contrário do que propaga o governo, a Previdência é superavitária. A auditoria realizada revelou má gestão, desvios de verbas e de finalidade através da DRU e isenções fiscais concedidas pelo governo às grandes empresas devedoras de tributos. A prática reiterada de sonegar tributos, entre eles as contribuições previdenciárias que estas grandes empresas não fazem, oneram os cofres públicos. Contudo, o governo “legalizou” a sonegação com a aprovação dos programas de refinanciamento (REFIS), que perdoa as dívidas das grandes empresas. A lista dos grandes devedores (entre os dez primeiros encontra-se a gigante JBS) está disponibilizada no site da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional para qualquer cidadão. A dívida destes grandes inadimplentes importa três vezes o valor do suposto déficit anunciado. Portanto, não é o funcionalismo público que onera os cofres previdenciários, pois estes já tem suas contribuições descontadas em folha de pagamento mensalmente.

  2. Temer vai ser reconhecido no futuro como o presidente mais eficiente da história . Vai tirar o país do brejo e coloca-lo século XXI , tudo isto lutando contra o maior aparelhamento , estatal e privado , nunca antes visto na história deste país. Escrevam na parede e venham me cobrar

  3. Esse m. tem míseros três por cento de aprovação, nunca mais será nada na política nacional, um idoso não com muito mais anos de vida, que sabe que a maioria dos brasileiros sabe que ele roubou e continua roubando, então qual seria a motivação em passar uma injusta porcaria de reforma da previdência? quanto lhe pagam para isso e quais atores do empresariado e política o pagam?

  4. Funcionários públicos não querem perder “direitos”. Certamente em breve outra denúncia ou algum escândalo patrocinado por algum procurador, com ajuda da turma da SRF e do Judiciário virá à tona.
    É chegada a hora de fazer uma limpa nesses malandros, exonerar 2/3 desse pessoal e cobrar uma aliquota de 30% de contribuição previdenciária pra funcionário público que ganhe acima de 10 mil por mês até o déficit causado por essa gente ser zerado.
    É chegada a hora! QUEM DEVE TEM QUE PAGAR!

    1. Concordo com o que você disse. O peso do funcionalismo é grande e talvez seja um problema maior do que o da previdência. Pagar um percentual maior também seria justo. Só não é justo deixar várias categorias de fora, como policiais e militares por exemplo, e ratear a conta do rombo com todos, sobretudo quem já está no mercado há vários anos e não contavam que as regras não seriam quebradas no meio do jogo como foi feita a proposta do governo.

    2. Ghost Writer do Mainardi, meu falecido pai, da iniciativa privada, embora tenha contribuído pelo teto do INSS, se aposentou com menos porque as regras foram quebradas no meio do jogo, e não teve choro nem vela. Enquanto para os da iniciativa privada existe “expectativa de direito”, para os do setor público há o “direito adquirido”. Essa discriminação tem que acabar. Serviço público é uma atividade como outra qualquer.

    3. Nesta atual proposta não há elevação de aliquota, por isso eu sou contra. Só o FMI vai fazer isso, como fez em 1999. Vamos pressionar para esta reforma não ser aprovada, o Brasil quebra e o FMI acaba com a palhaçada, COMO FEZ EM 1999

  5. O Temer está tão enrolado que concluir a Reforma é prejuízo para ele. Se ele se mantiver cozinhando o governo com este discurso da reforma, ele vai até o final do mandato. Mas se perder a votação da Previdência, como tudo indica, o governo acaba no dia seguinte. O Temer pode ser tudo, mas é esperto o suficiente para saber que não tem nada a perder deixando a reforma em banho maria até 2018, sem perder o único discurso que agrada o seu público e o mantém de pé.

  6. Temer COMPRA o Congresso descaradamente a cada denúncia da PGR para se salvar, e quer falar em Reforma da Previdência?? NÃO haverá Reforma e não deve haver mesmo. Mudar as aposentadorias enquanto o Judiciário brasileiro é O MAIS CARO DO MUNDO ao mesmo tempo que é um dos MENOS eficientes. Enquanto o MPF é uma FARRA com dinheiro público, da mesma maneira que o Executivo também torra dinheiro. Que a Reforma VTNC, que Michel Temer VTNC. Quando um cidadão tenta montar um negócio próprio e passa por um aberto financeiro, o Governo sutilmente manda o cidadão VTNC. Se o Governo quer mais dinheiro para a Previdência. #.F.O.D.A.-S.E., arrume o dinheiro de outra forma. Parem de ROUBAR, por exemplo. Uma das coisas mais inadmissíveis na História do Brasil será Reformar a Previdência enquanto os políticos vão sutilmente forçando REAJUSTES NO PRÓPRIO SALÁRIO, o MPF vai reajustando e o Judiciário também fica esperando aumento. VÃO TODOS SE FODER. Façam o seu serviço e PAREM DE ROUBAR, PAREM DE DAR “JEITINHO” para acumular benefícios. Politico recebe DINHEIRO PÚBLICO e ainda pode se aposentar, mas querem a Reforma. VNTC!!!!!!!!

  7. Temer não tem moral pra fazer essa reforma. Uma pessoa investigada não tem moral pra nada. É melhor deixar para um presidente eleito pelo voto. Temer vai entrar para a historia como chefe de quadrilha.