Primeiro presidente da Anvisa defende lockdown para evitar "desastre sanitário"

Primeiro presidente da Anvisa defende lockdown para evitar “desastre sanitário”
Foto: Amazônia Real

O médico Gonzalo Vecina Neto, primeiro presidente da Anvisa, defende que o Brasil tente fazer lockdown, sob o risco de a pandemia em 2021 ser ainda pior que em 2020.

Ele disse ao Congresso em Foco:

“Relaxou, vai ter aumento de casos. O aumento de casos de Covid-19 é diretamente ligado ao relaxamento social. Não tem mágica. Se governadores e prefeitos não fecharem mais as atividades que não sejam essenciais, vamos ter desastre sanitário de novo.”

Ele quis dar o exemplo de Manaus.

“Em Manaus, o governador disse que ia fechar isso e aquilo. Os comerciantes foram para a rua e fizeram movimento social. O que o governador incompetente e genocida do Amazonas fez? Liberou. Qual o resultado da liberação? Em Manaus não se fala em hospital de campanha. Fala-se de necrotério de campanha, por não ter onde botar defunto.”

Leia mais: Quem são os diretores da agência que darão o veredicto sobre as vacinas a serem aplicadas nos brasileiros
Mais notícias
TOPO