Procurador diz que faltou apoio de Janot e Daiello à Zelotes

Telegram

Responsável pela Operação Zelotes, que investiga fraudes de R$ 19 bilhões no Carf, o procurador Frederico Paiva denunciou ao Estadão a falta de apoio da gestão de Rodrigo Janot às investigações.

Ele também criticou mudanças promovidas por Leandro Daiello na PF.

“Quando nós requisitamos dois peritos para a Procuradoria-Geral da República para poder viabilizar a análise dos dados bancários que foram quebrados. Este pedido foi negado. Sob a alegação de falta de peritos, disseram que não haveria como ajudar a Zelotes.”

Com a análise comprometida, a Zelotes não alcançou seu potencial máximo de aprofundamento das investigações.

“Não consigo entender os critérios. A Zelotes envolvia o Carf, um órgão com importância fundamental na economia brasileira, lá são julgados cerca de R$ 500 bilhões em créditos tributários, e a gente veio mostrando resultados, oferecendo denúncias, conseguimos condenação, mas outras operações tiveram muito mais apoio. Eu não entendo os critérios da PGR.”

Em relação a Daiello, Paiva diz que a retirada do delegado Marlon Cajado representou um baque ainda maior.

“A Polícia Federal tirou o delegado Marlon Cajado, delegado muito atuante na investigação em parceria com o MPF. Ele foi tirado da Zelotes em maio do ano passado, isso nos deixou a pé. Tivemos que lidar com um volume imenso e, infelizmente, não conseguimos analisar tudo. Isso foi um baque.”

O Antagonista alertou desde o início da Zelotes sobre a influência de Guido Mantega e Lula no Carf.

Além disso, estamos falando de crimes envolvendo os grandes industriais, banqueiros e financistas do país.

Alguma relação?

Comentários

  • Fritz -

    A quadrilha é mesmo forte, poderosa e muito infiltrada! Os cabeças têm que começar a ir para a prisão ou mesmo serem "suprimidos". Pelo que se observa, ainda não estamos fora de perigo de virarmos uma Venezuela.....

  • Law -

    Pergutem ao Ex Procurador Renato Rangel sabe tudo das falcatruas do PT e seu bando

  • amaury -

    Simples assim. Desratização das funções públicas já é reeleição pra nada, nunca mais

Ler 32 comentários