Procurador-geral nega ter recuado sobre inquérito de Alckmin

Gianpaolo Smanio, o procurador-geral de Justiça de São Paulo, falou ao Estadão e disse que não recuou ao manter na Promotoria do Patrimônio Público o inquérito sobre Geraldo Alckmin.

Nesse caso, o governador tucano é acusado de ter recebido R$ 10,3 milhões da Odebrecht, via caixa dois, nas suas campanhas de 2010 e 2014.

“Não estou recuando. Chamei os autos para decidir sobre a competência da investigação. E decidi”, declarou Smanio.

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 8 comentários
  1. Sou uma pessoa esclarecida e que acompanha os principais acontecimentos no País. Dito isso, acredito que não houve recuo e que Alckmin não está envolvido nesse escândalo.

  2. Em português bem claro: AFINOU, PEDIU ARREGO. Parece que a blindagem de titânio do PSDB em São Paulo patrocinada pelo judiciário começa a dar “fadiga de material”. Devem ser os ares que sopram no planalto paulista vindos do mar, terra e ar.

    1. Se a Lava Jato fosse independente de Gilmar, Toffoli, Ricardo, Marco Aurélio, teríamos mais cadeias cheias……cheias de bandidos perigosíssimos. O que precisa mesmo é acabar com esses sujeitos serem indicados por governos…. pois o que eles são na verdade é defensores de cada governo. Vendem a alma pra terem o cargo.