ACESSE

Procuradora do MP do Rio pede suspensão de investigação sobre Flávio Bolsonaro

Telegram

Acompanhe nossas notícias também pelo Google Notícias.

Acesse nossa página no serviço de notícias do Google e clique em SEGUIR ou no ícone

A procuradora de Justiça Soraya Taveira Gaya, do Ministério Público do Rio, pediu, em um parecer emitido no dia 12 de maio, que a liminar que suspendeu as investigações sobre a suspeita de “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj fosse restabelecida, diz O Globo.

Soraya não faz parte do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) que investiga o filho 01 de Jair Bolsonaro e seu ex-assessor Fabrício Queiroz por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A procuradora atua no habeas corpus junto à segunda instância do TJ-RJ.

O pedido ainda não foi analisado pela 3ª Câmara Criminal do TJ. Os três desembargadores que compõem o órgão podem acolher ou rejeitar o parecer da procuradora.

No habeas corpus pedido pela advogada de Flávio, Luciana Pires, a defesa do senador alega que, como ele era deputado estadual na época dos fatos investigados, o juízo competente para a análise do caso seria o Órgão Especial do TJ do Rio.

Em recurso apresentado por seus advogados, Flávio também questionou a competência do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, para determinar a quebra dos sigilos bancário e fiscal, além de busca e apreensão.

Leia também: EXCLUSIVO: MORO ATACA

Comentários

  • Marcio -

    Essa procuradora deve estar aliada ao Aras. Ala Podre da procuradoria.

  • Marcio -

    Não aguentamos mais esses procuradores que levam as suas decisões pro lado político. Flávio teria que estar preso.

  • Orlando -

    O Flávio Bolsonaro não desiste de protelar o andamento do seu processo e tem razão para isso: Bangu 8 é uma cadeia do Rio apropriada à prisão de políticos, mas todo mundo foge dela como o cão da cruz.

Ler 60 comentários