ACESSE

Promotor diz que habeas corpus 'virou um instituto prostituído'

Telegram

No fórum promovido pelo Estadão, Marcelo Mendroni, promotor do Ministério Público de São Paulo, disse também que se incomoda com o número de habeas corpus.

“Houve um exagero, virou um instituto prostituído. A gente tem que usar o habeas corpus quando alguém vai preso e não cometeu o crime. Principalmente o de ofício. Essa é uma situação que me incomoda sobremaneira. Pacotes de medidas legais que venham a gerar uma punição efetiva para os corruptos seriais e também medidas que possam ajudar na prevenção aí no médio e longo prazo serão sempre bem-vindas.”

Sobre a farsa petista de insistir no discurso da candidatura de Lula, o promotor aproveitou para afirmar que “seria imoral um condenado por corrupção virar representante da população”.

Leia também:

“Alguns ministros do STF se consideram acima da lei”

Promotor rebate advogado de Temer: “Prisão faz com que cesse a prática do crime”

Comentários

  • walter -

    O habeas corpus no jargão jurídico é chamado de remédio heroico. Só se deveria recorrer a ele em casos extremos, e não pela banalidade dos defensores da boçalidade.

  • Joyce -

    Ao se referir ao instituto do Habeas Corpus como algo apenas para "quando alguém vai preso e não cometeu o crime", Marcelo Mendroni demonstra uma ignorância jurídica assustadora e revela uma veia cômica realmente única. Ele deveria seriamente pensar em exercer a sua verdadeira vocação...

  • APODREÇA -

    A PROSTITUIÇÃO NO CASO FOI CRIADA, COMO NÃO PODERIA DEIXAR DE SER, PELA GANGUE PETISTA. AGORA A PROSTITUIÇÃO DO HC SÓ GERA FRUTOS QUANDO BUSCA BENEFICIAR UM PROSTITUTO EM ESPECIAL!!! ESTE É, PELA QUANTIDADE DE HC'S EM SEU FAVOR, O PROSTITUTO MAIS INOCENTE EM TODO UNIVERSO!!!

Ler 17 comentários