Propina sem amarras

Outra taxa suspeita incluída pelo consórcio Schahin/Modec no contrato do navio-sonda Cidade de São Paulo trata do pagamento de “amarras, poliéster e acessórios para ancoragem”.

No valor ‘simbólico’ de US$ 62,1 milhões.

Veja mais em:

Outro contrato da Schahin: US$ 1,5 bilhão

Schahin e as taxas da propina

Exclusivo: O contrato de US$ 3,6 bilhões da Schahin

Faça o primeiro comentário