Próstata de ouro

Cândido Vaccarezza foi libertado por Sérgio Moro para cuidar de um suposto câncer de próstata. À PF, ele disse que pegou 150 mil emprestados para esse fim.

O valor é bem acima dos 25 mil reais solicitados pelo chefe de gabinete de Silval Barbosa, Silvio César, que precisou fazer uma cirurgia para retirar um tumor maligno no órgão.

César contou em delação que pediu o dinheiro a Silval, que levantou a soma por um dos seus esquemas de propina.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 20 comentários
  1. Imagino o exame em uma próstata de ouro, enfia o dedo e sai um anel, enfia o punho e sai um relógio Rolex. Se enfiar a cabeça sai um anel peniano cartier. Esse não é fraco não!!!

  2. Já reparou que todos eles de uma hora para outra aparece com uma doença maligna. A Dilma antes da eleição, a primeira, até de peruca andava, e minguem falou mais nisso. Será que era uma manobra marqueteira? Não quero crer.

  3. Abaixem a cabeça minha gente
    É Cheque de Milhão, e Bilhão etc e tal voando.
    Essas Quadrilhas de Jacarezinho são assim mesmo, só falta os Vacarezas peduratem no pescoço uma Corrente com uma Cruz com 2kg de peso.
    Tipico das Favelas da Globo.

  4. O sujeito deve ter lançado isso como despesa no Imposto de Renda. Médicos devem ter lançado isso como receita no IR. E, é claro, que algum hospital tem o registro da cirurgia, do preço pago e o prontuário médico. É simples assim, Vaccarezza. Indique nomes de quem poderia comprovar seu álibe.

  5. O valor fica em torno disso mesmo 25~35mil…Depende do médico e do hospital.
    No caso de Vacarezza , o médico e o hospital devem ter filiação e serem doadores do pt , respectivamente ! Certamente, o valor divulgado pel’O Antagonista está sub avaliado. Deve ser 150mil EUROS ou Libras Esterlinas , claro…

  6. Ele agora que se cuide, pois andando com uma próstata de ouro ao custo de 150,00, é presa fácil prá bandidagem, inclusive, dos exs. companheiros do grupo terrorista ao qual ele pertenceu. Rogo a Deus que o proteja, mas acredito que ele estaria mais seguro na prisão, pagando pelos crimes que cometeu a mando de seu chefe-mor.