Provas e documentos

O advogado do laranja de Lula nega que ele seja laranja de Lula.

Alberto Toron disse à Folha de S. Paulo que seu cliente, Fernando Bittar, vai “dissipar equívocos e mostrar claramente que ele e seu sócio Jonas são os verdadeiros proprietários do sítio”.

E acrescentou:

“Vamos mostrar provas e documentos”.

A Lava Jato sabe que Fernando Bittar e Jonas Suassuna compraram o sítio, mas provas e documentos demonstram que quem se instalou nele, dois meses depois, foi Lula.

Provas e documentos demonstram também que Odebrecht, OAS e José Carlos Bumlai reformaram o sítio para Lula.

E que as reformas foram acompanhadas pela mulher de Lula.

E que o sítio foi usado prioritariamente por Lula.

E que a cozinha foi refeita pela OAS, quatro anos depois, novamente para Lula.

Fernando Bittar e Jonas Suassuna enriqueceram devido à proximidade com o presidente da República. Se, por esse motivo, eles resolveram pagar-lhe um sítio, assim como pagaram um apartamento para Lulinha, a coisa é mais grave: trata-se de propina.