PSD suspende Flordelis e já prepara expulsão

PSD suspende Flordelis e já prepara expulsão
Foto: Pablo Valadares

O PSD vai expulsar a deputada federal Flordelis, denunciada por ser a mandante da morte do marido.

O Antagonista publica, em primeira mão, a nota do presidente do partido, Gilberto Kassab:

“O PSD esclarece que desde o início acompanhou o caso citado e defendeu o andamento e aprofundamentos das investigações. Diante do indiciamento da parlamentar, o corpo jurídico do partido adotará as medidas para a suspensão imediata de sua filiação e, a partir dos desdobramentos perante a Justiça, serão adotadas as medidas estatutárias para a expulsão da parlamentar dos seus quadros.”

Flordelis chegou ao PSD pelas mãos do senador Arolde de Oliveira.

Ela só não foi presa hoje pela morte do pastor Anderson do Carmo em razão da imunidade parlamentar.

A deputada responderá por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima), associação criminosa, falsidade ideológica e uso de documento falso.

O pastor assassinado era secretário-geral do PSD no Rio de Janeiro. Ele tinha assumido o cargo pouco depois de o senador Arolde passar a comandar a legenda no estado, em março de 2019.

O inquérito concluiu que Anderson foi morto por questões financeiras e poder na família – o pastor controlava todo o dinheiro da igreja de Flordelis.

Ainda em junho do ano passado, O Antagonista noticiou que Anderson também exercia forte influência sobre o mandato da mulher: estava em Brasília toda semana, preparava discursos e ações da parlamentar e frequentava reuniões partidárias em nome dela.

Leia mais: O DNA da corrupção: “Se gritar pega Centrão, não fica um meu irmão”
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO