Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

PSDB anuncia oposição ao governo Bolsonaro, mas adia decisão sobre impeachment

Em nota oficial, partido disse repudiar 'atitudes antidemocráticas' do presidente e ter iniciado discussões sobre seus crimes de responsabilidade
PSDB anuncia oposição ao governo Bolsonaro, mas adia decisão sobre impeachment
Foto: Rafael Luz/Min das Cidades

Após reunião da executiva nacional, o PSDB anunciou que será, a partir de agora, oposição ao governo Jair Bolsonaro.

Em nota oficial, o partido afirmou que “repudia as atitudes antidemocráticas e irresponsáveis adotadas pelo presidente da República em manifestações pelo Dia da Independência”.

“Ao mesmo tempo, [o PSDB] conclama as forças de centro para que se unam numa postura de oposição a este projeto autoritário de poder; e para evitar a volta do modelo político econômico petista também responsável pela profunda crise que enfrentamos”, afirmou a sigla há pouco.

Além disso, o partido confirmou que iniciou discussões em relação à postura que adotará agora em relação a possível processo de impeachment de Jair Bolsonaro.

Leia na íntegra a nota oficial do partido:

Por unanimidade PSDB anuncia oposição ao governo Bolsonaro e início da discussão sobre a prática de crimes de responsabilidade pelo presidente da República.

O PSDB repudia as atitudes antidemocráticas e irresponsáveis adotadas pelo presidente da República em manifestações pelo Dia da Independência. Ao mesmo tempo, conclama as forças de centro para que se unam numa postura de oposição a este projeto autoritário de poder; e para evitar a volta do modelo político econômico petista também responsável pela profunda crise que enfrentamos.

O PSDB também se alinha à indignação de todos aqueles que têm na democracia, na defesa das instituições e no respeito à liberdade o seu maior compromisso.

Os brasileiros esperam de seu governante soluções para a pandemia, para o desemprego, para a inflação crescente, para a crise hídrica, para desigualdade, e para o descalabro fiscal.

Por fim, com a participação da Executiva e das bancadas na Câmara e Senado, registramos que após o pronunciamento inaceitável do chefe do Poder Executivo, na data de ontem, iniciamos hoje o processo interno de discussão sobre a prática de crimes de responsabilidade cometidos pelo Presidente da República e o caminho mais eficiente para evitar o agravamento dessa crise na vida das pessoas.

Mais notícias
TOPO