PSL de SP sofre desordem financeira

O Globo informa que o PSL de São Paulo, presidido por Eduardo Bolsonaro, enfrenta uma desordem financeira que “praticamente inviabiliza o funcionamento da sigla no maior estado do país”.

A sigla mudou de sede em julho, um mês depois de Eduardo assumir o comando da legenda, para uma casa localizada na região do Parque Ibirapuera. No local, não há móveis nem placas do partido na fachada. Apenas dois funcionários trabalham por lá.

Para manter o básico, o diretório estadual cobra mensalidade dos diretórios municipais. Segundo o tesoureiro do PSL de SP, Oscar Fakhoury, o dinheiro arrecadado chega a R$ 15 mil por mês.

A prática é prevista pelo regimento interno do PSL. Não é adotada, no entanto, pelos diretórios estaduais procurados pelo Globo (Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Goiás e Pernambuco). Procurado, o diretório de Minas Gerias não informou se cobra mensalidade.

A direção do PSL nacional informou que está preocupada com a situação jurídica do diretório de SP: “A grande preocupação da direção do PSL é que, apesar de prover a parte jurídica, o diretório de São Paulo não consegue sequer a certidão para regularizar a situação e permitir o envio de recursos regularmente. Muito preocupada com essa situação, a Executiva Nacional enviou a SP na última semana uma advogada, um contador e um técnico para ajudar no que for possível.”

Comentários

  • Sonia -

    São os filhotes unidos

  • Gilberto -

    Os brasileiros precisam aprender a VOTAR, hoje está disponível para todos, tem BARRACO na favela com 5 celulares. Seu VOTO seu PODER agora em 2020 esvaziem os maiores partidos, sem VOTO, sem poder..

  • Presidente-XVII -

    O PSL só tem futuro se for refundado, formar uma nova executiva com nome e estatuto novo, e com os Bolsonaros e aliados eleitos no comando, virando assim o "Conservadores", finalmente!

Ler 27 comentários