PSL e Carvalhosa vão ao STF contra o Fundão

O PSL vai protocolar em instantes no STF uma ação direta de inconstitucionalidade, assinada pelo jurista Modesto Carvalhosa, contra o Fundão, chamado na peça de “sumidouro
de dinheiro público”.

Confira aqui a íntegra da ação, à qual O Antagonista teve acesso em primeira mão.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Para registro, a ala do PSL que é contra o Fundão é o LIVRES, de vertente liberal para a economia e valores como honestidade, ética e transparência no trato da coisa pública.

Ler mais 31 comentários
  1. Para registro, a ala do PSL que é contra o Fundão é o LIVRES, de vertente liberal para a economia e valores como honestidade, ética e transparência no trato da coisa pública.

  2. Muito bom, o povo precisam de meios para enfrentar esses pseudos políticos que simplesmente
    legalizaram o caixa dois em benefício próprios. Desde o escândalo do Collor ficamos sabemos que dinheiro de campanha serve para lavar legalmente propinas que enchem apartamentos de dinheiro vivo.

    1. Logicamente, subsidiados pelo ‘Constitucionalista’ Temer – maioria simples dos presentes serve para passar matéria constitucional. Ao que a ‘Constitucionalista’ Cármen replica -‘Não passarão’! Gilmar, dando de biquinho na testa da presidente e inspirado em Mário Quintana diz baixinho: ‘Eu passarinho!’

  3. Enquanto o bananeiro ficar apenas xingando pelo teclado os meliantes farão o que bem entenderem. E com o aval de um S(P)TF mancomunado com a bandidagem. Já estamos em fase avançada e irreversível da implantação de um regime totalitário. Não sairemos dessa sem muito sangue derramado.

    1. Sim, já está totalmente óbvio que assim será.
      Se tivermos sorte, é claro, de acontecer qualquer resistência haverá luta árdua.
      Penso que há possibilidade de cairmos sob uma tirania totalitária feroz … sem escalas. Dormindo.

  4. O fundo eleitoral criado na reforma política aprovada este mês e estimado em R$ 1,7 bilhão para as campanhas de 2018 será distribuído indistintamente entre partidos que têm prestações de contas reprovadas pela Justiça eleitoral e que, até mesmo, usam o dinheiro público que recebem hoje para atividades que passam longe da vida partidária. Apenas este ano, nove legendas tiveram suas contas desaprovadas, de um total de 29 prestações analisadas.
    .
    As irregularidades que levaram à desaprovação das contas vão desde questões formais, como a apresentação de notas fiscais incompletas, a suspeitas de desvios. Alguns casos envolvem uso de verba do fundo partidário — portanto, dinheiro público —, para o pagamento de empresas de dirigentes das siglas por supostos serviços prestados ao partido, compra de vinhos e até reforma em residência de presidente de legenda.
    .
    Os problemas são recorrentes. Segundo um analista do TSE, nas contas de 2012, ainda sob análise, há a suspeita de que o presidente de partido tenha alugado o próprio carro ao seu diretório, em vez de contratar uma locadora. O caso está sendo investigado.

  5. Muito bom, tem de ir pra cima desses bandidos estamos sendo obrigados a bancar facções do crime organizado. O senado brasileiro é composto por maioria de investigados a população não quer essa pouca vergonha

  6. O Brasil é um país de esquizofrênicos. Não quer verba publica na campanha, não quer verba de PJ na campanha e não quer que os próprios candidatos financiem sua campanha. Sobrou o que?? Só demagogos e dinheiro ilegal.

    1. Sobrou também o mais importante que é o cidadão financiando o seu partido diretamente ao invés de financiar partidos bandidos de forma indireta.
      Se tem dinheiro ilegal é um problema pra justiça, mas com esse TSE vendido controlado por Gilmar Bandido pode ter certeza que vai ter dinheiro ilegal não investigado.

    2. PJ com controle da Lava Jato era a melhor opção. Autofinanciamento também não tem problema algum.
      Agora os políticos não precisam nem passar pelo constrangimento de pedir dinheiro. O dinheiro já vai obrigatoriamente para eles. Nosso dinheiro. E nós sabemos onde esse dinheiro vai parar…

  7. Esse Carvolhosa não tinha se lançado à presidência com apoio de 1/3 do PIB? Ele ia fazer o lançamento há semanas, não? Tenham a Santa paciência. Ah, ainda tem o PSI, tudo muito relevante.

    1. Por isso esse país ta às mocas, no fundo o babanense gosta msm é de ostentação. Gostam de traficantes ricos, politicos ricos e Cia. Outro dia lendo uma reportagem na revista época, uma jornalista enfatizava q o filho de um senhor, Olavo de Carvalho, residia num subúrbio. Vc nunca verá alguém da mídia dizer, o Fhc mora em Higienópolis, bairro de rico, e enfantizar q era um professor. Muito pejorativismo de conveniência, aliado a muito bananeiro puxa saco de ladrão rico!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    2. Tá louco? O cara consegue entrar contra esse fundo cuja verba nao existe e já nasceu com déficit de 300 milhões e você não sabe nem escrever o nome dele. Ombudsman do quê? Da ignorância? Tá certissimo o Carvalhosa. E veja bem: UM PARTIDO apenas topou comprar a briga. UM ENTRE 35. 1/3 do PIB? 160 MILHOES de eleitores sendo lesados um cara tendo coragem de ir contra essa roubalheira. Um cara que podia ser seu avô.

  8. Olha o tamanho da indecência. Eles já tinham 1 bilhão do Fundo Partidário…
    .
    Lillian Witte Fibe – Veja
    Em 7 anos, a doação que você e eu fazemos aos partidos políticos terá engordado 880%, 16 vezes mais do que a inflação.
    Custei a acreditar. Fiz e refiz as contas várias vezes. Consultei a calculadora oficial do Banco Central.
    É isso mesmo: 881%.
    Leio no Globo que, em 2011, você e eu demos aos partidos políticos R$265 milhões.
    E que, no ano que vem, daremos R$2,6 bilhões, incluído o recém-nascido fundo eleitoral de R$1,7 bilhão.
    Levei um susto. Resolvi conferir qual foi a evolução da inflação, bem como do salário mínimo, no mesmo intervalo de tempo.
    Entre janeiro de 2011 e dezembro de 2017, os preços com os quais lidamos no orçamento nosso de todo dia terão aumentado, na média, uns 54% (embute, claro, a estimativa para este último trimestre).
    E o salário mínimo, 78%.
    Em 2011, o salário mínimo valia R$545,00. Em 2018, deve ficar em torno de R$970.
    Detalhe: não fosse o novo fundo bilionário, o aumento de dinheiro público drenado para os partidos já seria fantasticamente maior do que os dois índices que menciono acima: 240% (R$265 milhões em 2011, e R$900 milhões no ano que vem).

  9. O STF tem que ser coerente, se proibiu dinheiro privado em campanhas, tem que proibir o público também. Além do que, é uma Lei absolutamente inconstitucional como bem definiu a petição do Dr. Modesto Carvalhosa. Espero que o STF acabe com o bacanal do dinheiro público para campanha política, criado para pagar cabos eleitorais e comprar votos e maquiar candidatos.

  10. 13102017 Senhoras e senhores De acordo com a Regra 477 das normas e regulamentos promulgados nos termos do Securities Act de 1933, conforme alterada (a “Lei de Valores Mobiliários”), a JBS Foods International BV (a “Companhia”) solicita que a Securities and Exchange Commission (a “Comissão” ) consentimento para a retirada de sua Declaração de Registro no Formulário F-1 (Arquivo nº 333-214910), arquivado na Comissão em 5 de dezembro de 2016, juntamente com todas as suas exposições (a “Declaração de Registro”).
    A Companhia solicita a retirada da Declaração de Registro porque a Companhia decidiu não prosseguir a venda de valores mobiliários de acordo com a Declaração de Registro neste momento.
    A Declaração de Registro não foi declarada efetiva e nenhum título foi oferecido ou vendido ou será oferecido ou vendido de acordo com a Declaração de Registro. Por conseguinte, de acordo com o parágrafo (b) da Regra 477 do Securities Act, a Companhia entende que este pedido de retirada será considerado concedido a partir da data em que está arquivado na Comissão, a menos que, no prazo de 15 dias após essa data, a Companhia recebe notificação da Comissão de que este pedido não será concedi

  11. Boa iniciativa. Há que se contestar essa coisa ignomiosa: roubo descarado. Impressionante a criatividade dos ladrões de sempre, membros vitalícios dos quadrilhões (de Centro, de Direita e de Esquerda) no exercício da sua ganância desmedida e insaciavel. Há que se opor senão essa gentalha ( o pior da raça humana) continuará a espoliar, sufocar, subtrair, …, atrasar o desenvolvimento do meu querido Brasil. Até quando?