O bloco salva-ORCRIM

O pacote salva-ORCRIM tem apoio transversal.

Segundo o Valor, o deputado Carlos Marun, vice-líder do PMDB e do governo, “foi um dos que, embora presente na Câmara, não registrou presença” na Comissão de Combate à Corrupção.

Ele explicou:

“Isso é uma posição para forçar um acordo. A maioria não concorda com o texto do relator”.

A maioria dos parlamentares de PT, PMDB, PSDB, PSD, PP, PSB, PTB, PRB, PHS e Pros não registrou presença. A reportagem informa que “vários deles chegaram a passar em frente à comissão”.

Os raros deputados favoráveis às 10 medidas afirmam que o real objetivo dos membros da ORCRIM é anistiar o caixa dois eleitoral.

Arnaldo Jordy, do PPS, disse:

“A responsabilização dos promotores e juízes é o bode na sala para forçar outro resultado”.

Faça o primeiro comentário