PT, PT, PT. Repetindo: PT

O Estadão informa que Shinko Nakandakari, “o primeiro dos 11 operadores de propina na Diretoria de Serviços da Petrobrás a fazer acordo de delação premiada, confirmou nesta quinta feira que pagou propina ‘em dinheiro vivo’ ao ex-diretor da estatal Renato Duque. Pelo menos R$ 1 milhão ele afirma ter entregue em mãos a Duque, em parcelas. Outros R$ 4,4 milhões afirmou ter passado para Pedro Barusco, ex-gerente de Engenharia e braço direito de Duque”.

Esse é outro caminho para a CPI da Petrobras.

Segundo a planilha de Pedro Barusco, Shinko Nakandakari pagou R$ 12,4 milhões em propinas para ele e para Duque. E pagou também R$ 12,4 milhões ao PT.

Pedro Barusco pode confirmar a denúncia à CPI. Assim como Shinko Nakandakari. O que falta saber? O destino dos R$ 12,4 milhões do PT.

PT, PT, PT. Repetindo: PT.

O resto – as empreiteiras, os operadores, os funcionários da Petrobras – não importa para a CPI, porque a Lava Jato vai cuidar dessa gente.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200