Quadrilha do WhatsApp pode ter acessado informações sigilosas de ministros

Em Crusoé, Filipe Coutinho conta que investigadores da PF levantam a suspeita, ainda inicial, de que a quadrilha especializada em clonar WhatsApp de autoridades tenha tido acesso a informações sigilosas.

Conforme publicamos mais cedo, a polícia deflagrou hoje uma operação chamada Swindle (“fraude”, em inglês), para prender acusados de pertencer ao bando.

Clique AQUI para ler a reportagem completa em Crusoé.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 15 comentários
  1. Amigo meu que cair neste golpe … não tem condições de continuar a sê-lo…
    Alguém tem um amigo que depositaria valores pedidos por what’s ???
    Sem confirmar os dados ou perguntar
    se não preferia o valor em dinheiro vivo por telefone , já perguntando se poderia ajudar de alguma outra maneira…

  2. Tem muito “politicomanso” , as conversas gravadas não deixam dúvidas ;
    “”Amor , vou chegar depois das 11 , tô no salão, depois vou na casa de uma amiga , depois vou jantar com um cliente , depois vou ao shoping , .Pode dormir que eu não vou te acordar . Te amo …..””

  3. Para mim história muito mal contada. A invasão é crime menor se considerado isso de alguém “doar” dinheiro com um telefonema. No mínimo estranho, muito! Algo parecido com o encontro temer/joesley nos porões do Jaburu onde um acabou preso e outro, o anfitrião, é presidente.

  4. Tudo que interessa à sociedade, ao interesse público não deve ser sigiloso especialmente se assuntos dieta ou indiretamente relacionados com cargos ou funções públicas. Suficiente o caput do art. 37 da CF .