Qual?

A advogada-geral da União, Gracie Mendonça, pergunta da tribuna do STF:

“Qual o alcance do instituto da imunidade parlamentar?”

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Se as pessoas não conseguem enxergar o alcance nem mesmo do princípio da moralidade, como almejam saber os limites de qualquer norma mais específica? Toda essa discussão e perda de tempo são devidas, apenas, ao estado de confusão mental, má fé e incompetência de nossas autoridades e das pessoas que dirigem a maioria das instituições brasileiras. Infelizmente, não vejo solução plausível até que toda essa geração e sabe-se lá quantas mais sejam substituídas. Observamos diariamente os velhacos no conforto de suas mansões adquiridas com o sangue do povo chamados a intervir, a manifestar suas opiniões (ir)relevantes como exemplos mumificados da inoperância, do compadrio, da badalação do mal e coadunação de sempre por parte de quem deveria encarcerá-los, denunciá-los, esquece-los. É um faz de conta incessante, um teatro que não diverte mas amargura e ofende quem tem brios e neurônios.

  2. Ler mais 5 comentários
    1. Se as pessoas não conseguem enxergar o alcance nem mesmo do princípio da moralidade, como almejam saber os limites de qualquer norma mais específica? Toda essa discussão e perda de tempo são devidas, apenas, ao estado de confusão mental, má fé e incompetência de nossas autoridades e das pessoas que dirigem a maioria das instituições brasileiras. Infelizmente, não vejo solução plausível até que toda essa geração e sabe-se lá quantas mais sejam substituídas. Observamos diariamente os velhacos no conforto de suas mansões adquiridas com o sangue do povo chamados a intervir, a manifestar suas opiniões (ir)relevantes como exemplos mumificados da inoperância, do compadrio, da badalação do mal e coadunação de sempre por parte de quem deveria encarcerá-los, denunciá-los, esquece-los. É um faz de conta incessante, um teatro que não diverte mas amargura e ofende quem tem brios e neurônios.

    2. Não querendo proteger quem comete crimes, mas os ministros atuais do STF se sentem acima da própria Constituição e o Congresso precisa colocar um limite para ele, veja o caso da Dilma em que duas vezes o STF passou descaradamente por regras claras da Constituição para beneficiar Dilma, dizendo ser necessária autorização do Senado para o prosseguimento do impeachment e depois deixando a petista com seus direitos políticos. Qualquer concurseiro de nível médio que estude um pouco julgaria melhor que os Ministros do STF neste caso.

    3. Resposta: ” o alcance vai até onde as Cheerleaders ( Animadora de Torcida) como essa “gracinha”, estiver disposta a defender BANDIDOS” !!!

    Os comentários para essa notícia foram encerrados.