Quarentena para suspeito de peculato

O TCU apontou hoje indícios de que a cúpula do BNDES cometeu crime de peculato ao permitir repasses para a entidade de previdência complementar de seus dirigentes e funcionários.

Entre os listados como responsáveis por essas operações está o ex-diretor Maurício Borges Lemos.

Maurício garantiu sua quarentena, conforme divulgou há pouco a Comissão de Ética Pública.