Que não se atrevam

O procurador Júlio Marcelo de Oliveira foi de uma coragem rara. Defendeu a decência. Defendeu os cidadãos. Defendeu a República.

Que não se atrevam, ministros do TCU.

Faça o primeiro comentário