“Que todos os criminosos sejam responsabilizados”

Leia um trecho da entrevista de Janaina Paschoal à Folha de S. Paulo.

O jornal tentou ridicularizá-la falando de seus amuletos, mas o que importa é todo o resto.

A sra. defendeu a renúncia do presidente. Isso ele já disse que não vai acontecer. Qual seria a melhor saída para a crise política então?

A renúncia é menos dolorida. Além dela e do impeachment, há os caminhos do TSE e do próprio STF.

A sra. participou de manifestações associadas à direita em 2016. Se hoje há uma pauta convergente, o “fora, Temer”, por que é tão difícil unir os dois polos ideológicos?

Os manifestantes de agora não querem apenas “fora, Temer”, eles querem “volta, Lula”. Não vou ajudar. Quero que todos os criminosos sejam responsabilizados, Lula inclusive.

A sra. diz que não concorda com eleições diretas, pois seria uma forma de Lula poder concorrer antes de eventuais condenações que impossibilitam sua candidatura. É justo tratar uma “Diretas-Já 2” como estratégia de um partido, se em abril 85% da população apoiava a ideia?

Na verdade, não sou contra diretas só por causa do Lula. Eu sou contra diretas porque a Constituição não prevê. O que eu ponderei foi o fato de os petistas não estarem pedindo “fora, Temer” pelo Brasil, mas sim pelo PT, pois eles não reconhecem os crimes de Lula e Dilma.

Se Temer cair, quais seriam bons nomes para o Planalto?

Sou contra qualquer ideia de colocar FHC. Ele sempre defendeu Lula e Dilma. Nunca apoiou o impeachment. A oposição dele é de fachada. Desses nomes, só apoiaria Cármen Lúcia.

Teme que esse cenário de terra arrasada na política, após um impeachment e a recente crise com Temer, fortaleça posições extremistas no Brasil?

Não, temos que limpar! Não podemos nos acovardar em nome de uma estabilidade fictícia. Esse pessoal tem que aprender que a lei também é para eles.