Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Quebra de sigilo bancário de Salles está emperrada há dez meses

Quebra de sigilo bancário de Salles está emperrada há dez meses
Foto: José Cruz/Agência Brasil

A quebra dos sigilos bancário e fiscal do escritório de advocacia do ministro Ricardo Salles emperrou na Justiça de São Paulo, diz a Crusoé.

O Ministério Público de São Paulo aguarda há quase dez meses o envio dos extratos detalhados da conta bancária do escritório usado por Salles antes de ele se tornar ministro do Meio Ambiente.

Como revelou a Crusoé, a conta pessoal de Salles recebeu ao menos R$ 7 milhões em créditos entre 2013 e 2017. Parte deles, cerca de R$ 330 mil reais, é referente a depósitos em dinheiro — alguns de forma fracionada.

Parte desses créditos, provenientes do seu escritório e da conta de sua mãe, foi o que levou o MP-SP a solicitar as novas quebras. A suspeita dos promotores é sobre possível lavagem de dinheiro.

Leia aqui a íntegra da nota. Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO