Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Queiroga se enrola ao tentar explicar 'evidências científicas' para não vacinar adolescentes

Em sua primeira versão, ministro disse ter removido os adolescentes sem comorbidades porque estados e municípios haviam se antecipado ao PNI
Queiroga se enrola ao tentar explicar evidências científicas para não vacinar adolescentes
Reprodução/Ministério da Saúde/YouTube

Marcelo Queiroga se enrolou nesta quinta (16) para explicar supostas ‘evidências científicas’ para retirar adolescentes sem comorbidades do programa nacional de vacinação.

Uma repórter questionou o ministro: “O senhor falou que não existe evidência científica aí então para embasar um adiantamento, uma aplicação das doses de (sic) adolescentes, crianças de 12 a 17 [anos] que não possuem comorbidades. Então eu gostaria de saber o que antes havia embasado o Ministério da Saúde para que sugerisse essa aplicação, como o senhor disse, a partir do dia 15 de setembro?”.

Como já mostramos, em 2 de setembro o Ministério da Saúde publicou nota técnica em que orientava que a vacinação de todos os adolescentes de 12 a 17 anos deveria começar a partir do dia 15.

Queiroga se enrolou para responder: “Bom, eu falei evidências científicas sólidas. E a decisão, ela pode ser baseada em opinião de especialistas. E a medicina e a ciência, como aqui já foi comentado, ela (sic) é dinâmica. E a posição das autoridades regulatórias e sanitárias, ela pode mudar”.

Em sua primeira versão, porém, Queiroga disse ter removido os adolescentes sem comorbidades da vacinação porque estados e municípios haviam se antecipado ao PNI, vacinando os jovens antes de 15 de setembro, e assim consumindo doses destinadas aos adultos.

Leia mais:

Queiroga diz que adolescentes sem comorbidades não devem tomar 2ª dose, o que não faz sentido

Queiroga bota a culpa em estados e municípios por retirada de adolescentes sem comorbidades

Saúde retira adolescentes sem comorbidades do plano de vacinação contra Covid

Mais notícias
TOPO