Queiroz diz que deixou gabinete de Flávio para se aposentar

No depoimento que deu ao Ministério Público Federal na semana passada, sobre o vazamento da Operação Furna da Onça, Fabrício Queiroz afirmou que não deixou o gabinete de Flávio Bolsonaro por ter sido avisado que seria alvo, mas porque iria para a reserva na Polícia Militar.

Trecho do depoimento foi divulgado hoje pelo Jornal Nacional.

“Eu já tava ciente, já tinha deixado um amigo meu, deixou meu processo da minha reserva engatilhado já. Esse, eu passei para o senhor. E eu tinha que ser exonerado porque, se não tivesse sido exonerado, eu não tinha como ir para a reserva”, respondeu Queiroz.

Queiroz foi exonerado do cargo de assessor de Flávio logo após o primeiro turno da eleição de 2018. Foi nessa época, segundo o empresário Paulo Marinho, que o senador teria sido avisado que Queiroz seria alvo da operação, deflagrada no início de novembro daquele ano.

No depoimento, Queiroz também foi questionado por que Nathalia Queiroz, sua filha, foi demitida na mesma época, antes da operação, do gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara.

“Ela já sabia que ia ter que sair. Ganhando ou perdendo, ela ia perder o emprego lá, já que o Jair ia largar a Câmara dos Deputados. Então, ela estava preparada. Ela podia estar na transição, como não. Ela já sabia que, ganhando ou perdendo, ela ia sair”, afirmou.

Ainda neste mês, procurador Eduardo Benones, que cuida da investigação, fará uma acareação entre Paulo Marinho e Flávio Bolsonaro, que nega o vazamento.

Leia mais: EXCLUSIVO: O BUNKER SECRETO DOS FILHOS DE BOLSONARO
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 21 comentários
TOPO